quarta-feira, 8 de julho de 2009

Três Eixos Norteadores das Ações - Parte 2

As ações da Prefeitura de Belém, no que diz respeito ao segmento educacional, desde o início da atual gestão, estão sendo orientadas, de forma sistêmica e fortemente integrada, com suporte em três grandes eixos estratégicos:

Expansão da educação infantil;

Formação continuada de professores e

Educação para o desenvolvimento humano sustentável.

A programação estruturada pela SEMEC e pela Fundação Escola Bosque procura associar os orçamentos anuais às prioridades embutidas nessa tríade norteadora, sem perder de foco as propostas amplas e gerais contidas no Plano Plurianual / PPA que compreende o intervalo 2006-2009.

Todos os movimentos e providências têm as escolas da Prefeitura de Belém e seus alunos como beneficiários.

Vale comentar que as ações da SEMEC, quando se tornam visíveis e apresentam resultados, demandaram antes planos, esforços e cuidados essenciais de concepção e sustentação, como, por exemplo: melhorar a aprendizagem dos alunos parte da constituição de um grupo dedicado à tarefa – Elaborando Conhecimento para Aprender a Reconstruí-lo / ECOAR – e da conseqüente formação continuada de professores incentivados a desenvolver seu próprio método pedagógico; colocar a informática nas mãos dos alunos depende de cursos prévios para os professores realizados no prédio do Núcleo de Informática Educativa / NIED e preparação da infra-estrutura física das escolas (muitas vezes, além da aquisição de móveis e da adoção de soluções de refrigeração, rede elétrica e telefônica, significa também a construção de novas salas); ampliar a oferta da educação infantil começa na difícil busca de terrenos em Belém e na discussão do projeto arquitetônico das unidades edificadas no quadriênio de modo que observem os requisitos pedagógicos; receber alunos portadores de necessidades especiais demanda profissionais capacitados, equipamentos e área física; a obrigação de incentivar a leitura que ensejou a criação do Sistema Municipal de Bibliotecas Escolares / SISMUBE não pode ser feita sem seleção criteriosa e aquisição de livros e móveis, preparação de salas nas escolas e habilitação de equipe para a missão; participar com sucesso do Censo Anual do MEC e garantir as verbas decorrentes dessas informações parte do desenvolvimento de sistemas de informática ao lado da Companhia de Informática de Belém / CINBESA envolvendo ligações complexas com os cadastros automatizados de professores, escolas e alunos; construir escolas nas ilhas inclui modelos e custos peculiares de energia, saneamento, abastecimento de água, acesso (trapiche) e transporte diário (fluvial e terrestre) de professores e alunos.



As ações da SEMEC, se encorajaram novos passos para inaugurar programas fundamentais em curso, não desalentaram a contínua manutenção e o melhoramento possível das escolas já existentes – que a atual gestão municipal recebeu com muitas precariedades. Acervos materiais foram recompostos. No quadriênio 2005-2008, perseguir o “novo” jamais significou descurar da rede de educação antes instalada ao longo de muitos anos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar no Blog da Semec.